Rss Feed Tweeter button Facebook button Youtube button


Dia da adoção solidária CAA – doação responsável de cães e gatos

Escrito por Leonardo (online). Publicado em Animais, Bem Estar Animal, Doação de Animais, Proteção Animal | 6302 visualizações

Um dos maiores problemas que vivenciamos atualmente em relação aos animais domésticos é o abandono. Diariamente, muitos cães e gatos são abandonados por diversos motivos e passam a vida nas ruas, lares temporários ou “abrigos”, aguardando pela chance de conseguirem um lar. Muitos não conseguem, ou quando conseguem, correm o risco de ser novamente abandonado em função de uma adoção mal planejada, mal conduzida ou realizada por impulso. O Clube Amigos dos Animais de Santa Maria, idealizador da feira do  Vira-Lata  que funcionou de 1996 a 2006  todos os domingos das 10 às 12 horas na Praça dos Bombeiros, e neste período doou  mais de 5 mil animais esterilizados e identificados com tatuagem vai retornar agora o evento “Dia da Adoção Solidária”, que será realizado de forma permanente no primeiro domingo de cada mês. Como médica veterinária e voluntária do CAA, apoio a política seguida pela ONG e participo ativamente das diversas atividades por ela realizadas e venho esclarecer o que consideramos uma doação bem feita e bem conduzida, auxiliando esses animais a encontrarem um lar que os acolha por toda a sua vida.

A primeira coisa que eu gostaria de deixar claro então é que não procuramos por donos para nossos animais. Procuramos por tutores responsáveis e comprometidos com o bem estar e qualidade de vida deles durante toda a sua existência. Porque doar para qualquer um é fácil. Se tivermos 200 filhotes disponíveis, encontraremos 200 donos, pois existem muitas pessoas interessadas em um cão ou gato. Porém a grande maioria dessas pessoas só quer um animal por impulso e não leva em consideração o futuro dele em um médio e longo prazo, não havendo garantias de que este animal terá todas as suas necessidades supridas adequadamente. Neste caso, a adoção poderá terminar em abandono e maus tratos, e é justamente isso que desejamos evitar.

Outro ponto importante trabalhado pelo CAA é a doação apenas de animais castrados. Trabalhamos com castração pediátrica de cães e gatos a partir de 60 dias de idade, possibilitando que até mesmo filhotes possam ser entregues já castrados e não venham a se reproduzir no futuro, evitando assim mais descendentes gerados e mais abandono.

A escolha do adotante também é levada em consideração. Fazemos rigorosa seleção de candidatos através de uma entrevista onde constam vários questionamentos acerca do tipo de residência, segurança, propósito da adoção, existência de outros animais na casa, condições financeiras e noções de guarda responsável. Dessa forma tentamos garantir que o animal terá adaptabilidade máxima em seu novo lar.

Já escolhido o adotante, ele se comprometerá a cuidar e zelar pela qualidade de vida do animal até o fim de sua vida, através da assinatura de um termo de compromisso. Nossos animais são todos entregues identificados com tatuagem ou microchip, e esta identificação deverá constar no termo de adoção. Assim, espera-se que haja uma responsabilidade do tutor pelo seu novo animal, não sendo permitido em hipótese alguma vendê-lo, doá-lo a terceiros, abandoná-lo ou maltratá-lo.

Após a entrega do animal, ainda é realizada a monitorização do mesmo no novo lar com a realização de visitas periódicas. Assim, garante-se que o animal esteja saudável, feliz e adaptado. Em casos de não adaptabilidade, o animal é retirado do lar e reencaminhado novamente para adoção.

Além de todas estas etapas, essenciais para o sucesso da adoção, realizamos ainda atividades educativas que visam despertar o conhecimento e o interesse da comunidade para a guarda responsável de seus animais de estimação. Procuramos com isso evitar maus tratos, procriação indesejada, abandono e sofrimento, proporcionando bem estar e qualidade de vida tanto ao animal quanto ao seu tutor.

A política seguida pelo Clube Amigos dos Animais, portanto, consta de diversas atitudes que colocam o animal sempre em primeiro plano e tentam adaptá-lo em lares responsáveis e comprometidos. São atitudes simples, mas que contribuem para um futuro melhor a milhares de cães e gatos que já sofreram muito nas ruas e que agora, finalmente, merecem uma vida plena, com saúde, qualidade e bem estar.



A diferença entre DAR e DOAR um peludo.

Escrito por Leonardo (online). Publicado em Bem Estar Animal, Doação de Animais | 4414 visualizações

Dado ou doado?
Uma cena comum é encontrar pessoas doando ninhadas de filhotes, muitas vezes até de raça pura. Bastam alguns minutos de conversa para ver que grande parte dos “doadores” na verdade é de pessoas que foram irresponsáveis, deixaram suas cadelas ter cria e agora vão para as ruas simplesmente dar os filhotes sem a menor preocupação em fazer acompanhamento e sem compromisso de castrá-los. O pior é que no fim das contas, como se livraram dos indesejados filhotes de maneira relativamente fácil, não castram a mãezinha e, seis meses depois, a cena acontece novamente e mais animais vêm ao mundo para reproduzir sem critério e aumentar a superpopulação de cães e gatos de rua. 
.
A diferença
Entre dar e doar é enorme. Inclusive para quem recebe o animal. Uma pessoa que ganha, às vezes aceita por impulso, não se sente tão responsável moralmente e pode terminar não exercendo uma guarda adequada. Muitas e muitas vezes o “presente” na verdade termina sendo um verdadeiro estorvo e logo é passado adiante. Um doador sério coloca-se à disposição para receber de volta o animal que doou e para ajudar os adotantes com eventuais problemas. Quem dá, simplesmente repassa. E repassar o problema não é, de maneira alguma, solucioná-lo. É como jogar o lixo no bueiro. Ele até some, mas nas enchentes vem à tona para lembrar a todos que está lá, à espera de seu destino correto. O triste nesse comportamento irresponsável com cães e gatos é que quem realmente sofre são eles, não as pessoas que os deixaram vir ao mundo ou os “doaram”.
.
Radical
Podem reclamar e dizer que estou sendo radical. O que as pessoas não lembram é que cada lindo filhotinho nascido em uma casa onde os donos tinham a obrigação social e ética de evitar a reprodução de seus cães e gatos, não só tira a chance de um outro animal que nasceu nas ruas, ou que foi nelas abandonado, de achar um lar, mas colabora com mais e mais ninhadas indesejadas. E são justamente estes filhotes “de família” que continuarão a perpetuar o problema, porque são dados de qualquer maneira e sem castrar, tendo várias crias, e com isso a pirâmide invertida só cresce. Lembrando alguns dados oficiais da American Humane Association: uma cadela que tenha cria duas vezes por ano gerará mais de 80 mil descendentes em 10 anos. Sim, 80 mil!
(….)

(Não sei o autor, se for você, manifeste-se para receber os devidos créditos, obrigado)



Animais para adoção – SANTA MARIA/RS

Escrito por Leonardo (online). Publicado em Animais, Bem Estar Animal, Doação de Animais, Proteção Animal | 9576 visualizações

Oie pessoal! Como vocês sabem, o portal Nosso Mundo se dedica à educação para a Guarda Responsável e estímulos à adoção de cães e gatos abandonados. Para tanto, dispomos de uma área especial do nosso Fórum exclusiva para adoção e doação de animais. E para divulgar o seu animalzinho é super simples, é só você fazer seu registro gratuito em nosso site, depois clicar no banner da nossa página inicial ou entrar diretamente por AQUI, e postar. Lembrando que, como tudo na vida, nosso fórum também possui algumas regrinhas básicas para melhor visualização e compreensão dos casos postados:

  • Deve ser postado a CIDADE e o ESTADO onde o animal se encontra no TÍTULO DO TÓPICO. Por exemplo: Doação de cão sem raça definida – São Paulo, SP.
  • O Portal Nosso Mundo disponibiliza este espaço, porém não tem responsabilidade direta com os animais divulgados. Não possuímos abrigo e não temos como recolher animais. Vamos mudar a realidade de milhares de cães e gatos que vivem nas ruas do nosso país.
  • É importante acrescentar a maior quantidade de informações possíveis a respeito do animal a ser doado, tais como: espécie, raça, idade, tamanho, temperamento, motivo da doação, local (cidade, estado), se é saudável ou não, se é castrado ou não.
ATENÇÃO! SOMENTE SERÃO ACEITOS ANÚNCIOS DE ANIMAIS CASTRADOS, OU QUE SERÃO CASTRADOS ANTES DE SEREM DOADOS. ANÚNCIOS EM DESACORDO COM ESTA DETERMINAÇÃO, SERÃO DELETADOS.
.
Então, fácil não? Aproveitando então, já coloco à sua disposição nossos modelos mais preciosos, lindos meninos e meninas que vivem em SANTA MARIA/RS, já estão castradinhos e prontos para receberem seu carinho e sua responsabilidade!! Não quer ou não pode adotar? Sem problema, então nos ajude, compartilhando esse post, pode ser?
Obrigado!!.



Manifestação pelo respeito aos animais comunitários de Santa Maria

Escrito por Leonardo (online). Publicado em Amigos, Animais, Bem Estar Animal, Doação de Animais | 2232 visualizações

Oie povo!!! Hoje foi um dia especial para os santamarienses que respeitam e se importam com os animais. A ONG Clube Amigos dos Animais, Focinhos Felizes e União Santa-mariense Protetora dos Animais, com o apoio do Portal Nosso Mundo realizaram a Manifestação pelo respeito aos animais comunitários e aos seus cuidadores. O evento foi na Praça Saldanha Marinho e calçadão, das 10 às 13 horas desse sábado, 31 de março de 2012. O que nos levou a isso? O desaparecimento sistemático de animais comunitários que já tinham sido atendidos por veterinários, estavam esterilizados e tendo todos os cuidados necessários para manutenção de sua saúde, apenas aguardando a adoção. Gente, isso não pode continuar assim, queremos saber para onde esses animais foram levados!!  Lembrando ainda que, pela LEI Nº 13.193, DE 30 DE JUNHO DE 2009, em seu artigo 4º, § 2º: considera-se animal comunitário aquele que estabelece com a comunidade em que vive laços de dependência e de manutenção, ainda que não possua responsável único e definido. Ainda no artigo 4º desta Lei diz: o recolhimento de animais observará procedimentos protetores de manejo, de transporte e de averiguação da existência de proprietário, de responsável ou de cuidador em sua comunidade. Isto quer dizer que no mínimo o cuidador deve ser comunicado no caso da retirada do animal do local.

Esta Lei também proíbe a matança de animais para controle populacional em seu Art. 2° diz: Fica vedado o extermínio de cães e gatos pelos órgãos de controle de zoonoses, canis públicos e estabelecimentos oficiais congêneres, à exceção das universidades e dos institutos com fins de ensino, pesquisa e estudos científicos. A criação de abrigo é comprovadamente ineficaz, pois estimula o abandono e é um desperdício do dinheiro público. Como é proibido matar e abrigos não resolvem o problema, a comunidade deverá aceitar a convivência pacifica com animais comunitários até que chegue o dia em que cada munícipe assuma a responsabilidade que comporta ter um amigo animal. Queremos deixar claro que somos contra animais nas ruas e nossa luta é para que cada animal de rua tenha um lar responsável e que cada lar que maltrata ou abandona animais seja punido.

EXIGIMOS RESPEITO AOS ANIMAIS COMUNITÁRIOS E AOS SEUS CUIDADORES!

Confiram as fotos da manifestação, que atraiu muitas pessoas que por ali passavam: