Rss Feed Tweeter button Facebook button Youtube button

Posts Tagged ‘Cruzamento de animais’



Eu preciso mesmo cruzar meu cão?

Escrito por Leonardo (online). Publicado em Animais, Bem Estar Animal, Criação de Animais, Proteção Animal | 7090 visualizações

Olá pessoal!! Fazia um tempinho que não saía postagem nova, mas com a chuva que insiste em cair lá fora, acabando de vez com as aventuras do final de semana, acabei me inspirando pra falar sobre um assunto que eu considero importantíssimo…Hoje surgiu uma polêmica porque eu postei que era totalmente contra essa história de “mimimi, minha cadelinha morreu no parto”. Pergunto: porque colocar o animal em cruzamento então? Cadelas/gatas só morrem durante o parto porque logicamente emprenharam! E se emprenharam, das duas uma: ou foi acidental (animal de rua) ou foi permitido pelo dono, e é exatamente aí que mora o problema. Então vamos tentar entender um pouco mais sobre cruzamentos e talvez vocês entendam também o motivo de toda a minha indignação!

Ok, vamos então começar bem do começo! Você chega e me diz: “Quero cruzar meu animal de estimação!!” E eu te pergunto:  “por quais razões você quer fazer isso? É mesmo necessário este cruzamento?” Vamos ver as respostas:

 - Quero cruzar meu animal porque eu sempre sonhei em ter um filhotinho em casa! Ok, primeiro erro! Isso não é motivo para você cruzar seu animal, sabe porque? Primeiramente, porque filhotinhos existem aos montes por aí aguardando ansiosamente por um lar responsável. E em segundo lugar, porque ao colocar seu animal para cruzar, não nascerá apenas UM filhote…serão 3, 5, 8 ou até mesmo 10, dependendo do porte do animal. Então você pára e pensa: o que fazer com tanto animal? Você acha que eles serão filhotes para sempre? De forma alguma….irão crescer, necessitarão de comida, remédios, vermífugos, vacinas, castrações e principalmente, bons donos. Portanto se seu desejo é apenas ter um filhote fofo dentro de casa, pense mil vezes antes de colocar seu cão ou gato pra cruzar. Ao invés disso, adote um!

– Quero cruzar meu animal porque ele é lindo, saudável e é um desperdício não permitir que ele deixe descendentes! Ótimo, outro grande erro. Para que você entenda então, vamos falar um pouco sobre genética! Quando um animal é reproduzido (e isso vale para qualquer animal, inclusive para nós, humanos), ele transmite uma carga genética para seus descendentes. Metade dessa carga genética vem da mãe, e a outra metade vem do pai e juntas, constituirão a carga genética dos descendentes (filhos). E o que essa carga genética determina? TUDO. Cor da pelagem, temperamento, cor dos olhos, tamanho, cor da pele, altura, tamanho da pelagem, se ela é lisa ou ondulada, se ela é macia ou mais durinha, se o animal terá manchinhas redondas ou triangulares no corpo, tamanho das patas, presença ou não de rabinho…a carga genética determina também todo e qualquer tipo de doenças que os descendentes poderão vir a desenvolver ao longo de toda a sua vida: luxações de patela/quadril, atopia (e outras doenças de pele), doenças renais, doenças hepáticas, alterações graves de comportamento, cegueira, surdez, alterações cardíacas, alterações estruturais ósseas ou articulares, desvios do padrão da raça entre muitas outras coisas. E o pior de tudo isso: nem sempre os pais precisam ter esses problemas para que seus filhos venham a ter. Existe uma série de doenças transmitidas por genes RECESSIVOS, ou seja…os pais possuem o gene, mas não possuem a doença. Porém ao passarem o gene a seus descendentes, esses sim desenvolverão a doença. E cada vez que houver cruzamento, mais e mais filhotes nascerão doentes. Em resumo então para que todos entendam: pais saudáveis não necessariamente darão origem a filhotes saudáveis!

Cão atópico resultante de cruzamento mal planejado

 - Mas eu levei meu animal no veterinário, ele fez alguns exames e até um hemograma. Deu tudo normal! Ledo engano…o animal está “normal” do ponto de vista clínico e laboratorial, mas isso não é o suficiente para determinar a aptidão de um animal para gerar descendentes 100% saudáveis. Somente se consegue essa certeza fazendo seleção e mapeamento genético! São técnicas avançadas, exames especializados realizados por criadores experientes que dedicam suas vidas a reproduzirem animais geneticamente saudáveis e que irão gerar filhotes igualmente saudáveis. Filhotes que são vendidos por um preço alto, mas que darão ao dono a máxima probabilidade de crescerem felizes por toda a vida. E se você está lendo isso e é médico veterinário, por favor colega…oriente seus clientes a não sairem por aí procriando seus animais de estimação, mostre os riscos e desestimule criações de fundo de quintal!

– Mas se eu não cruzar meu animal, logo os cães e gatos desaparecerão…e eu não quero isso! Não se preocupe, esse é um risco que não se corre. Existem muitos cães e gatos nesse mundo, especialmente no Brasil. E infelizmente, embora não seja algo necessariamente correto, cruzamentos indiscriminados continuarão existindo por muito tempo! Animais de rua procriam naturalmente sem que muitas vezes possamos evitar, e isso por si só já é responsável por um número altíssimo de animais. Mesmo recolhendo animais das ruas todos os dias, infelizmente muitos ainda nascerão. Além disso, existem muitos criadores sérios e experientes, que se dedicam a preservar os padrões raciais de cães e gatos. Pessoas que dedicam suas vidas a reproduzirem animais saudáveis. Se somente pessoas habilitadas reproduzirem seus animais, teremos no futuro cães e gatos mais felizes, com menos incidências de doenças genéticas degenerativas que causam dor e sofrimento.

 - Eu adotei um animal da rua, ele é lindo, é até de raça! Aproveitei então para tirar uma ninhada! Já falamos sobre as implicações genéticas de cruzamentos mal feitos. Agora imaginem um animal de rua, que não tem nenhum tipo de histórico de saúde? Sabemos de onde ele veio? Quem são ou foram seus pais? Se teve algum tipo de doença grave na infância? Será que não houve um parto distócico no passado? Será que este animal não foi abandonado justamente por ser doente ou ter um desvio comportamental? Poderia haver ainda um histórico de tumor venério transmissível (TVT), não? Então você resgata este animal das ruas, e ao invés de dar-lhe proteção e zelar pelo seu bem estar, você o submete a um cruzamento totalmente desnecessário! Você acha mesmo que essa foi a decisão correta? Eu acho que não…fora que tem toda a questão de proteção animal…você resgata um animal abandonado da rua e faz com que dele venham mais descendentes que poderão ir parar na mesma rua? Não faz nenhum sentido, faz?

 - Eu só vou cruzar meu animal porque meus amigos e familiares sonham em ter um filhote, serão ótimos donos! Esse é uma das justificativas que eu mais ouço: “todos os filhotes terão bons donos!” Mas quem lhe garante que isso será mesmo verdade? Você até pode evitar que estes animais sejam procriados, castrando-os antes de entregar, mas será que isso é suficiente? Não se esqueça da nossa conversa sobre genética! E se algum filhote desenvolver uma doença grave ao longo da vida? E se seu tio, irmão, amigo, vizinho ou namorado resolver passar o animal adiante? E se você não castrar antes de doar, quem lhe garante que esse animal não será reproduzido e irá gerar mais descendentes que poderão, no futuro, parar nas ruas? E se você, ao ficar sabendo de tudo isso, não se sentir nem um pouco responsável, lamento, mas é algo a se pensar!

 - Quero cruzar meu cão ou gato porque quando ele se for sentirei muitas saudades…ter um filhote por perto irá amenizar isso! Preciso confessar (e isso não será nada fácil) que um dia já pensei assim! Já quis ter um filhote de meu animal mais amado por pensar que teria um substituto quando ele se fosse. Mas eu me enganei e você também se enganará, garanto. Meu cão não foi cruzado, não deixou descendente e hoje eu me sinto grata por isso. Sabem por que? Porque por mais que se tente, um animal JAMAIS será igual ao outro. Lembrem-se de que se você procriar seu animal você terá no máximo 50% de chance de obter um filhote parecido com ele. Jamais você conseguirá um animal à altura daquele que você perdeu! Porque cada ser que amamos é único e insubstituível. Então, não procrie…quando seu animal amado se for, pense em tudo o que você significou na vida dele e em tudo o que ele significou na sua vida. Pense que vocês construíram uma vida feliz juntos e que agora é hora dele descansar e de outro animal receber todo o amor que você possa dar! Adote um animal e construa com ele uma linda história também, não uma história de substituição, mas uma história que complementará a anterior! Garanto que é a melhor coisa a ser feita e vocês serão igualmente muito felizes juntos.

Então, acho que era isso…tentei enumerar e rebater as principais justificativas que ouço quando alguém vem me dizer que quer procriar seu animal de estimação, e espero que de alguma maneira esse texto faça você parar para pensar….e quem sabe mais gente pense um pouco sobre isso? Porque o que precisamos é de mudança de mentalidade e a partir daí, mudanças de atitudes! Atitudes que irão refletir em mais bem estar e qualidade de vida para nossos animais.

Para finalizar, seguem dois textos sobre esse assunto que eu gosto bastante, um deles é de minha autoria, e ambos estão disponíveis no Portal Nosso Mundo!

- DEVO CRUZAR MEU CÃO?
QUERO CRUZAR MEU CÃO!

Texto escrito por Silvia Schultz | Médica Veterinária | CRMV – RS 12750. Permitida a reprodução desde que na íntegra e mantidos os créditos.