Imprimir

Devo cruzar meu cão?

Escrito por Dennis Guldan.

* Texto original na comunidade "Cinofilia". Traduzido por Thais.*

"Uma das perguntas que mais freqüentemente me fazem em exposições ou por e-mail é: "Devo cruzar meu cão?". A resposta é "Não". Se você precisa perguntar então a resposta necessariamente será "Não".

Ontem olhamos para Jenny, nossa Viszla, sentada numa colina observando gansos e Ellen disse: "Como ela se parece com a Jazz". Jenny tem pouco mais de dois anos e é uma cópia escarrada de sua tia Jazz.

Jenny e Jazz vieram do canil Busch Viszla em Winnebago. Se Jenny fosse filha da Jazz, acredito que não seria metade da cadela que é. Não poderia ter sido. Qualquer um que saiba o mínimo sobre genética sabe que são necessários dois para um tango.

Assim, se você cruzar o "seu" cão maravilhoso com outro, na MELHOR das hipóteses, terá um cão com "metade" das características do seu cão. E a melhor das hipóteses raramente acontece. MAS se você procurar o seu criador, o profissional que faz os cruzamentos, testes e sabe quais características está buscando, suas chances serão bem melhores.
Buscarão qualidades tanto no macho quanto na fêmea e a genética comum que você está procurando. Isso é o que eu faço e esperaria que vocês fizessem também.

Há algumas semanas atrás no Minnesota German Shorthair Fall Hunt Test discuti com alguns criadores e treinadores a respeito de perguntas que uma pessoa deveria se fazer antes de cruzar o seu cão. Esperava que sairíamos com um monte, mas paramos em quinze, porém poderíamos ter seguido adiante. A seguir estão algumas perguntas que você deveria fazer a si mesmo antes de cruzar seu cão.

1. Seu cão tem um título? Ele foi avaliado por juizes em exposições ou provas de trabalho e habilitado a passar um padrão da raça.

2. Seu cão tem a conformação saudável? Teve a bacia, dentes e olhos checados por um profissional? É um cão saudável e com estrutura correta? Espere gastar uns R$250 para verificar se seu cão PODE cruzar.

3. O teste de displasia está o.k.? Talvez essa seja a primeira pergunta que o outro criador fará. Foi feito o laudo da radiografia e a bacia do seu cão foi considerada boa pelas autoridades certificadoras?

4. O cão tem um bom temperamento? O melhor dos campeões não deve ser cruzado se não for um cão sociável e ponto.

5. O cão tem alguma falha genética? A cor é correta para a raça? O tamanho e conformação são corretos? Ele se PARECE com a raça? A cauda tem a forma correta? A cauda de um Labrador deve apontar para trás, não em direção a suas costas. Tem uma boa pelagem? É medroso?

6. Você está disposto a perder seu cão por causa do cruzamento? Doenças fatais podem ser transmitidas no cruzamento. Algumas cadelas morrem ao dar cria.

7. Você está disposto a ficar com dez filhotes? Ter uma ninhada não significa que você poderá vender os filhotes. E se tiver de dá-los, que tipo de vida esses filhotes terão?

8. Você está disposto a sacrificar um filhote? Nascem filhotes com 3 patas, intestinos pendurados para fora e mais um milhão de outras razões para sacrificá-los. Você é capaz de sacrificar um filhote?

9. Você está disposto a receber de volta um filhote maltratado? Espere que aconteça e reze para não acontecer.

10. Você está disposto a dar uma garantia de saúde? O que acontecerá se todos os filhotes tiverem uma doença em comum e você receber TODOS de volta com 6 meses de idade?

11. Você fará um passeio num abrigo de cães antes de cruzar? Porque há exceções mesmo na melhor ninhada, um de seus filhotes pode acabar lá, na nossa sociedade em que tudo se descarta.

12. Você tem tempo? Espere ir para casa na hora do almoço e ficar acordado até as 2 da manhã por duas semanas para ter certeza que tudo está certo com a ninhada.

13. O pedigree é bom para acasalamento? Centenas de ninhadas nascem todos os anos, apenas algumas dúzias realmente prometem ter grandes cães.

14. Você consegue pagar as despesas com veterinário? Espere gastar algo em torno de R$500 a R$2000 dependendo se você precisar de uma cesariana ou apenas se quiser ter os filhotes prontos para a venda.

15. Você realmente quer negociar com pessoas e os cães, quando você pode conseguir uma "cópia" do seu cão do criador original? Você certamente não ficará rico considerando as dores de cabeça e as “dores no coração" durante o processo todo.

No final, eu consigo ver apenas dois motivos para acasalar seu cão. Primeiro, se seu cão provou ser excepcional em exposições ou em provas de trabalho. É o cão que pode avançar com a criação, melhorar a raça. E você QUERER cruzá-lo.

Isso não significa, é um cão bonito, ou é um bom cão de família ou é um bom caçador. O fato de ele ter sido avaliado contra outros cães da mesma raça e mostrar que ele é excepcional e que merece que seus genes sejam passados para frente. Se não, é bem simples, ele não deve ser cruzado.

Só porque você cruza dois bons cães, não significa que você terá ótimos filhotes. Isso é chamado "crapshoot" (Não entendi se isso tem um significado negativo... mas aparentemente, é algo que você não espera e sai ao contrário do que deveria). Normalmente as pessoas acreditam que dois cães ótimos deveriam dar ótimos filhotes. Isso acontece mais comumente que acasalar dois cães ruins e ter bons filhotes, mas não há garantias.

Mais de vez em nunca você se depara com um cão que não é propriamente grandioso, mais que gera ótimos filhotes ou que passa ótimos genes que criam bons filhotes. Esse é o caso de Harley. Por alguma razão estranha os filhotes de Harley eram muito melhores que ele próprio. Os filhotes tornaram-se campeões nacionais, embora ele nunca tivesse ido a este nível. Ótimos cães podem gerar péssimos filhotes. Um cão que gera ótimos filhotes é muito valioso, como Harley era.

O problema para um cachorro realmente provar que é bom é que serão necessários três ou quatro anos para tanto. Então, adicione mais dois ou três anos para que seus filhotes tenham crescido e sido testados, e você tem um cão de 6 ou 7 anos de idade antes mesmo de saber que você tem um cão bom. Portanto, você tem uma obra-prima de meia-idade. Isso não te deixa muitos anos para a cruzamentos, e eu preciso lembrá-lo que Harley é um dos casos que acontecem uma vez em um milhão!

Então, no final, apenas algumas palavras de aviso. Primeiro, seu cão tem mesmo qualidade para ser digno que seus genes passem adiante? Segundo, você conseguiria pagar o veterinário no pior dos casos, o risco de morte do seu cão? Terceiro, você está disposto a gastar tempo e dinheiro para achar os melhores lares para seus filhotes? Quarto, você conseguiria calmamente pegar de volta um filhote que foi maltratado e que você amamentou? Porque isso acontece!

Como Ellen normalmente diz para Ron: "Nem todo mundo no mundo é legal!"

Mas é a sua vontade, você não precisa da permissão de ninguém para acasalar seu cão. Mas uma dúzia de filhotes e o seu cão podem viver ou morrer, dependendo da sua decisão."

Fonte: Bird Dog and Retriever News - December/January 2005 issue
Page 14 to 15
http://www.bdarn.com/DJ05/page14/

Gostou do artigo? Compartilhe então!

Hits: 12274

Comentarios (0)


Mostrar/Esconder comentarios

Escreva seu Comentario

Voce precisa estar logado para postar um comentario. Por favor registre-se se caso nao tenha uma conta

busy